COLHEITA

 

Eu quero viver!

Tenho que viver;

preciso colher as flores

que ainda não plantei.

 

...Ler os livros

que ainda não foram escritos

e bailam como sonhos,

 nas cabeças dos poetas.

 

Tenho que estar presente

no dia em que não

mais existirem:

 

-         o risco nuclear

-         a bomba

- as guerras

-         a fome,

-         a mortalidade infantil

-         corrupção

-         incerteza

-         impunidade!

 

Queria a igualdade,

os homens se amando

sem preconceitos tolos,

 

queria ter tempo

de fazer tudo em tempo

de colher os frutos.

 

Cleidiner Ventura/84