FLUIR

  

Solte as amarras,

abra o peito,

respire com vontade

há a vida à ser vivida!

 

 Deixe os olhos

viajarem ao infinito

e registre em seu doce coração

as mais perfeitas paisagens.

 

 Solte as amarras,

abra o peito,

convide o amor

à entrar.

 

 Deixe sair dos lábios

as mais doces palavras

de amor e compreensão!

 

 Ouça no vento

sorrateiro que bate em sua janela

nas frias noites de inverno,

a música que te presenteia a madrugada.

 

 São acordes divinais

são violinos,

cordas a gemerem pela noite

embalando seu sono.

 

 Sinta que ao amanhecer,

o vento agora mais suave

faz chegar até você

infindos aromas matinais.

 

 São rosas que se abriram,

jasmins brancos e serenos,

orvalhados...

exalando a doçura

de seu mel.

 

 Solte as amarras,

abra o peito e a janela respire...

 

 Há a vida à ser vivida...

 

 -Que dádiva!

 

 Cleidiner Ventura/Anjo

05.06.2004