INFÂNCIA

Fui criança

e brinquei

nas largas ruas

do interior onde nasci;

 

Vi circos e lá trabalhei,

o meu rosto era pintado

de um malvado pierrô.

 

Brinquei na enxurrada

quando caia a chuva.

 

Fui criança e brinquei!

 

Brinquei com bonecas,

as mais diversas.

 

Hoje volto lá,

as largas ruas perderam o pó,

tornaram-se

centros comercias.

 

Os circos p'ra lá não vão,

não há espaço.

 

A chuva cai,

bem mais lenta.

 

Das minhas bonecas,

nem vestígios;

eu cresci, tudo mudou!

 

Cleidiner Ventura/Anjo - 1.973

Poema publicado no livro " 1ª ANTOLOGIA POÉTICA "