PORTA

 

Quando saístes de minha vida

passando a porta

e  não mais me olhando...

 

Para mim mesma

eu disse:

- Voltarás!

 

Ledo engano!

Quando saístes de

minha vida,

pretendias até voltar

- eu soube-

 

Não voltou,

não teve tempo...

 

Nos falamos

ao telefone,

recebi tuas cartas

e elas falavam de amor.

 

 

Outra porta,

àquela que não temos acesso em vida,

foi aberta para ti...

 

Partistes,

em minha porta

tu já não bates mais...

 

...embora

ouça, quando sozinha estou,

o ruído do elevador que para,

naquele nosso horário...

seus passos lentos...

- e nada à porta-

 

Fechada

restou

a

minha

porta

para

ti!

 

Outra se abriu

com muita luz,

com muita perspectiva

de felicidade!

 

É assim

que penso.

É assim

que quero que seja...

 

embora com tristeza

continue esperando

o toque da campainha...

 

Cleidiner Ventura/Anjo - 2004