RECUSO-ME

Recuso-me

a fechar os olhos

e fingir que não vejo

o que fazem

"os homens de bem"

 

com as crianças

desse meu País;

tão cheias de fome

tão cheias de droga...

 

Tão vazias de afeto,

tão carentes;

 

...nos calçadões

das

metrópoles,

pairando entre seres

tão insensíveis.

 

Tão sem afeto

sem razão,

sem emoção!

 

Recuso-me

a aceitar

tamanho abandono!

 

Faço de meu verso

UM GRITO

UM DESABAFO:

- BASTA!

 

 Cleidiner Ventura - Anjo

São Paulo, 21.06.2004