VOAR

 

Ah! se voar eu pudesse...

como pássaro

estaria

em sua janela

a cantar!

 

Todas as manhãs,

de sereno e de orvalho,

no frio balanço da brisa

estaria a te acordar.

 

No silêncio de todas

as tardes

na sombra de velhos galhos

nas frondosas árvores

de sua rua,

estaria a cantar!

 

Chegaria por certo

a atingir seu coração,

esse cantar sereno

de

manhã

de

tarde

e

ao anoitecer?

 

Ah! se voar eu pudesse!

 

Se ao coração

meu canto

não comovesse,

não deixaria de cantar...

 

O eco do canto meu

a te acompanhar

por toda a vida

por certo o faria ver

 

o tamanho de meu amor!

 

Ah! se voar eu pudesse!  

Cleidiner Ventura/Anjo

25.11.2003